O verdadeiro Sítio do Pica Pau Amarelo

Foi emocionante conhecer este lugar o verdadeiro Sítio do Pica Pau Amarelo. Local que inspirou Monteiro Lobato a escrever as histórias que conhecemos desde criança. Uma propriedade maravilhosa que foi de sua família. Não é a toa que este paraíso caipira conquistou Monteiro Lobato que escolheu o lugar para viver por sete anos de sua vida e, até hoje, tudo está igualzinho como ele e sua família deixou. Nos stories do nosso Instagram, tem várias fotos do Sítio, da cidade de Monteiro Lobato, do Mirante de São Francisco e do Recanto das Cachoeiras, que conhecemos em um rápido final de semana.


Ao chegar, já me encantei com aquele casarão de 1870, com 19 cômodos e mais de 60 portas e janelas enormes originais até hoje. Também fiquei louca com muitos patos, cachorros, gatos, galinhas, um laguinho logo na entrada e, o mais encantador de tudo, o escritório/biblioteca com as obras do ilustre escritos que morou por lá e dá o nome a cidade.







Como nos explicou a simpática proprietária, neste local que nasceram os três primeiros livros editados de Monteiro Lobato: “Urupês”, que  uma coletânea de contos; “O Saci”, o duende nacional e, “O Jeca Tatu”. Foi também tendo o sítio como inspiração que Monteiro Lobato escreveu para Godofredo Rangel dizendo que estava pensando em escrever para crianças e que "queria escrever  livros tão bons que as crianças pudessem morar dentro deles”. Para uma jornalista, isso é de arrepiar!

A recepção no sitio também foi demais. A proprietária e sua família nos recebeu maravilhosamente bem, como se fossemos amigos de longa data. Logo no quintal, na varanda que sai da cozinha, várias pessoas estavam tomando café e comendo delícias caipiras, inclusive o local serve almoço. No site deles está tudo explicadinho. 


Conhecemos a casa olhando tudo e imaginando a quantidade de história que aquelas paredes guardam. Isso é muito louco. De lá, fizemos uma caminhadinha rápida até até a cachoeira do "Reino das Águas Claras”, onde mesmo com frio, me aventurei a molhar ao menos os pés e, depois, antes de pegar a estrada de volta, balancei até em uma balança de corda e pneu em uma das árvores no quintal e comprei lápis da Emília para minha filha e minhas sobrinhas (não consegui sair de lá sem um mimo). Um convite para voltar a ser criança!






Enfim um lugar que vale a pena conhecer, ainda mais se você, assim como eu, conhece as obras deste ilustre brasileiro. Dizem inclusive que com o dinheiro da venda do Sítio, para a família que de geração em geração mora por lá até hoje, ele comprou a Editora Monteiro Lobato, a primeira do país.

Viajar e conhecer um pouco mais da história realmente me fascina e, assim com as palavras, divido com todos que passam por aqui um pouquinho do que vi e vivi!

Veja também, de Monteiro Lobato, os posts abaixo caso queira conhecer mais da cidade:

Comentários

  1. Estive aí com minhas filhas. Não sei quem mais se divertiu: elas ou eu!

    ResponderExcluir
  2. Más esse lugar é onde foi gravado o sítio ou esse lugar é o museu? Porque já vi vários vídeos no YouTube que a o verdadeiro sítio onde foi gravado o sítio do pica pau amarelo está bem acabado , é uma pena.me responde por favor.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Popular Posts